Destaques

Últimas Notícias

O QUE FAZER PARA EVITAR QUE O AMBIENTE DE TRABALHO LITERALMENTE NOS MATE

Sexta, 19 Outubro 2018

 

Nossa ‘segunda casa’ tornou-se um importante problema de saúde pública, mas o que empregados e empregadores precisam fazer para reverter essa situação?

GOLPE COM BOLETO BANCÁRIO: CONHEÇA TRÊS FRAUDES COMUNS NA INTERNET

Sexta, 19 Outubro 2018

Entenda como funcionam as fraudes e saiba como se prevenir (Por Tais Carvalho, para o TechTudo)

13º VAI INJETAR R$ 211,2 BILHÕES NA ECONOMIA, APONTA DIEESE

Sexta, 19 Outubro 2018

Cerca de 84,5 milhões de brasileiros vão receber o rendimento extra. Valor médio é estimado em R$ 2.320.

PERDA DOS APOSENTADOS DO INSS EM RELAÇÃO AO SALÁRIO MÍNIMO CHEGA A 86,38% DESDE PLANO REAL DE 1994 A 2019

Sexta, 19 Outubro 2018

Perda dos aposentados do INSS em relação ao salário mínimo chega a 86,38% desde Plano Real de 1994 a 2019.

Buscar Notícias

Newsletter

Receba notícias importantes em seu e-mail.

Temos 162 visitantes e Nenhum membro online

Trabalhadores do sexo masculino fecharam o ano com remuneração média de R$ 3.181, enquanto mulheres ganharam R$ 2.708

Na comparação com o salário médio dos homens, em 2017, as mulheres encerraram o ano ganhando 17,46% a menos que os trabalhadores do sexo masculino, revelam os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho, divulgados na sexta-feira (28). A discrepância salarial acompanhada da divisão de gênero reflete um conjunto de práticas culturais, segundo o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio.

Em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, da Rádio Brasil Atual, o diretor técnico destacou que em muitas gestões é comum que as práticas salariais adotadas para as mulheres sejam menores, apresente desvantagens na permanência dentro do mercado de trabalho, restrinja sua participação em ocupação de baixa remuneração e relativize a cultura do trabalho duplo e de cuidados.

"Isso as afastam destas condições de igualdade de presença no mercado de trabalho e essa desigualdade acaba conferindo a elas a desigualdade salarial", avalia Clemente sobre o levantamento, que indica o fechamento do salário dos homens em R$ 3.181, enquanto o das mulheres em R$ 2.708, 85,1% da remuneração masculina.

Para ele, a lenta variação positiva que o Brasil vem apresentando, com um crescimento de 1,8% no salário das mulheres na comparação com 2016, passa pela criação de condições objetivas, culturais e que permitam a ascensão da força feminina no mercado de trabalho. (Fonte: Rede Brasil)