Destaques

Últimas Notícias

DADOS DO IR MOSTRAM QUE SUPER-RICOS TÊM MAIS ISENÇÕES E PAGAM MENOS IMPOSTO NO BRASIL

Terça, 25 Junho 2019

Quanto maior a faixa de renda, maior é a parcela de rendimentos isentos, o que faz com que o topo da pirâmide pague uma alíquota efetiva menor. Faixa mais alta de renda paga

CONTAS JUDICIAIS TÊM R$ 100 MILHÕES ABANDONADOS EM SP, DIZ TRIBUNAL DO TRABALHO

Terça, 25 Junho 2019

TRT-2 criou força-tarefa para identificar donos dos depósitos e entregar valores (Marina Estarque)

LUCRO DA CAIXA SOBE 23% NO PRIMEIRO TRIMESTRE E CHEGA A R$ 3,9 BILHÕES

Terça, 25 Junho 2019

'Foi surpresa positiva', avalia Pedro Guimarães, presidente do banco (Luana Pavani)

CAIXA PODE DEVOLVER ATÉ R$ 20 BI AO TESOURO

Terça, 25 Junho 2019

 Depois de reverter prejuízo, banco pretende devolver recursos tomados do governo antes do prazo (Eduardo Rodrigues e Luana Pavani)

Buscar Notícias

Newsletter

Receba notícias importantes em seu e-mail.

Temos 44 visitantes e Nenhum membro online

Trabalhadores do sexo masculino fecharam o ano com remuneração média de R$ 3.181, enquanto mulheres ganharam R$ 2.708

Na comparação com o salário médio dos homens, em 2017, as mulheres encerraram o ano ganhando 17,46% a menos que os trabalhadores do sexo masculino, revelam os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho, divulgados na sexta-feira (28). A discrepância salarial acompanhada da divisão de gênero reflete um conjunto de práticas culturais, segundo o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio.

Em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, da Rádio Brasil Atual, o diretor técnico destacou que em muitas gestões é comum que as práticas salariais adotadas para as mulheres sejam menores, apresente desvantagens na permanência dentro do mercado de trabalho, restrinja sua participação em ocupação de baixa remuneração e relativize a cultura do trabalho duplo e de cuidados.

"Isso as afastam destas condições de igualdade de presença no mercado de trabalho e essa desigualdade acaba conferindo a elas a desigualdade salarial", avalia Clemente sobre o levantamento, que indica o fechamento do salário dos homens em R$ 3.181, enquanto o das mulheres em R$ 2.708, 85,1% da remuneração masculina.

Para ele, a lenta variação positiva que o Brasil vem apresentando, com um crescimento de 1,8% no salário das mulheres na comparação com 2016, passa pela criação de condições objetivas, culturais e que permitam a ascensão da força feminina no mercado de trabalho. (Fonte: Rede Brasil)