Destaques

Últimas Notícias

CAIXA DEPOSITA LUCRO DO FGTS PARA TRABALHADORES

Sexta, 23 Agosto 2019

Com a divisão dos lucros, grana do fundo terá rendimento total de 6,18% em 2018 (Cristiane Gercina)

POR LEI, SALÁRIO MÍNIMO NO BRASIL DEVERIA SER DE R$ R$ 4.143,55

Sexta, 23 Agosto 2019

 Segundo a Constituição, salário mínimo deve ser suficiente para atender necessidades básicas de uma família (Por Maria Fernanda Garcia)

GOVERNO VAI ENTREGAR 20,8 MILHÕES DE AÇÕES DO BANCO DO BRASIL

Sexta, 23 Agosto 2019

Em nota, Débora Fonseca, Conselheira de Administração Representante dos Funcionários (Caref) do Banco do Brasil, avalia que a medida irá aumentar a influência de acionistas nas decisões do banco,

MARINHO REITERA QUE BOLSONARO QUER O FIM DOS SINDICATOS E DO DIREITO DO TRABALHO

Sexta, 23 Agosto 2019

Após a reforma da Previdência, o governo do presidente Jair Bolsonaro vai propor o fim da Unicidade Sindical, sistema que permite apenas um único sindicato representando determinada categoria na mesma base territorial.

Buscar Notícias

Newsletter

Receba notícias importantes em seu e-mail.

Temos 114 visitantes e Nenhum membro online

Trabalhadores do sexo masculino fecharam o ano com remuneração média de R$ 3.181, enquanto mulheres ganharam R$ 2.708

Na comparação com o salário médio dos homens, em 2017, as mulheres encerraram o ano ganhando 17,46% a menos que os trabalhadores do sexo masculino, revelam os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho, divulgados na sexta-feira (28). A discrepância salarial acompanhada da divisão de gênero reflete um conjunto de práticas culturais, segundo o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio.

Em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, da Rádio Brasil Atual, o diretor técnico destacou que em muitas gestões é comum que as práticas salariais adotadas para as mulheres sejam menores, apresente desvantagens na permanência dentro do mercado de trabalho, restrinja sua participação em ocupação de baixa remuneração e relativize a cultura do trabalho duplo e de cuidados.

"Isso as afastam destas condições de igualdade de presença no mercado de trabalho e essa desigualdade acaba conferindo a elas a desigualdade salarial", avalia Clemente sobre o levantamento, que indica o fechamento do salário dos homens em R$ 3.181, enquanto o das mulheres em R$ 2.708, 85,1% da remuneração masculina.

Para ele, a lenta variação positiva que o Brasil vem apresentando, com um crescimento de 1,8% no salário das mulheres na comparação com 2016, passa pela criação de condições objetivas, culturais e que permitam a ascensão da força feminina no mercado de trabalho. (Fonte: Rede Brasil)