Destaques

Últimas Notícias

EM DEFESA DA JUSTIÇA DO TRABALHO

Sexta, 11 Janeiro 2019

Mauricio de Figueiredo Corrêa da Veiga. 

JUROS DO CHEQUE ESPECIAL SOBEM A 13,44% AO MÊS EM JANEIRO, DIZ PROCON

Sexta, 11 Janeiro 2019

Os juros do cheque especial (o "limite extra" da conta corrente no banco) subiram de dezembro para janeiro, de acordo com levantamento da Fundação Procon-SP, divulgado nesta quinta-feira (10). Os juros do empréstimo pessoal permaneceram iguais, na mesma comparação.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA PODE TER REGRAS TRANSITÓRIAS

Sexta, 11 Janeiro 2019

 

Para a aprovação de uma mudança constitucional é preciso o equivalente a três quintos da Câmara e do Senado. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

BANCOS TERÃO QUE FORNECER MAIS INFORMAÇÕES SOBRE CARTÃO DE CRÉDITO CONSIGNADO A APOSENTADOS

Sexta, 11 Janeiro 2019

Exigência negociada em acordo passa a valer a partir de 13 de março. Contratos para emissão de cartões consignados só serão válidos se acompanhado do termo de esclarecimento. (Por Laís Lis, G1)

Buscar Notícias

Newsletter

Receba notícias importantes em seu e-mail.

Temos 71 visitantes e Nenhum membro online

Em meio às dificuldades do governo na área fiscal, o setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras) apresentou déficit primário de R$ 24,621 bilhões em setembro, informou nesta segunda-feira, 29, o Banco Central.

Este é o pior resultado para meses de setembro desde 2016, quando houve déficit de US$ 26,643 bilhões. Em agosto, havia sido registrado déficit de R$ 16,876 bilhões e, em setembro de 2017, um déficit de R$ 21,259 bilhões.

O déficit primário consolidado do mês passado ficou dentro das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de saldo negativo de R$ 25,300 bilhões a déficit de R$ 15,860 bilhões, mas foi maior que a mediana, negativa em R$ 22,450 bilhões.

O resultado fiscal de setembro foi composto por um déficit de R$ 24,292 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Já os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado negativamente com R$ 795 milhões no mês. Enquanto os Estados registraram um déficit de R$ 872 milhões, os municípios tiveram resultado positivo de R$ 77 milhões. As empresas estatais registraram superávit primário de R$ 466 milhões.

Acumulado no ano

As contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 59,321 bilhões no ano até setembro, o equivalente a 1,17% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central.

A meta de déficit primário do setor público consolidado considerada pelo governo é de R$ 161,3 bilhões para 2018.

O déficit fiscal no ano até setembro pode ser atribuído ao rombo de R$ 76,537 bilhões do Governo Central (1,50% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um superávit de R$ 13,954 bilhões (0,27% do PIB) no ano até setembro.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 11,399 bilhões, os municípios tiveram um saldo positivo de R$ 2,554 bilhões. As empresas estatais registraram um resultado positivo de R$ 3,262 bilhões no período.

12 meses

As contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 87,794 bilhões em 12 meses até setembro, o equivalente a 1,29% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central.

O déficit fiscal nos 12 meses encerrados em setembro pode ser atribuído ao rombo de R$ 94,104 bilhões do Governo Central (1,39% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um superávit de R$ 3,832 bilhões (0,06% do PIB) em 12 meses até setembro.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 4,705 bilhões, os municípios tiveram um saldo negativo de R$ 873 milhões. As empresas estatais registraram um resultado positivo de R$ 2,478 bilhões no período. (Fonte: IstoÉ)