Destaques

Últimas Notícias

EM DEFESA DA JUSTIÇA DO TRABALHO

Sexta, 11 Janeiro 2019

Mauricio de Figueiredo Corrêa da Veiga. 

JUROS DO CHEQUE ESPECIAL SOBEM A 13,44% AO MÊS EM JANEIRO, DIZ PROCON

Sexta, 11 Janeiro 2019

Os juros do cheque especial (o "limite extra" da conta corrente no banco) subiram de dezembro para janeiro, de acordo com levantamento da Fundação Procon-SP, divulgado nesta quinta-feira (10). Os juros do empréstimo pessoal permaneceram iguais, na mesma comparação.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA PODE TER REGRAS TRANSITÓRIAS

Sexta, 11 Janeiro 2019

 

Para a aprovação de uma mudança constitucional é preciso o equivalente a três quintos da Câmara e do Senado. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

BANCOS TERÃO QUE FORNECER MAIS INFORMAÇÕES SOBRE CARTÃO DE CRÉDITO CONSIGNADO A APOSENTADOS

Sexta, 11 Janeiro 2019

Exigência negociada em acordo passa a valer a partir de 13 de março. Contratos para emissão de cartões consignados só serão válidos se acompanhado do termo de esclarecimento. (Por Laís Lis, G1)

Buscar Notícias

Newsletter

Receba notícias importantes em seu e-mail.

Temos 83 visitantes e Nenhum membro online

O CMN (Conselho Monetário Nacional) decidiu nesta segunda-feira (29) que os bancos poderão reduzir o limite do cartão de crédito dos seus clientes antes de 30 dias de prazo, que era a regra em vigor até agora.

Isso poderá ser feito nos casos em que o perfil de risco de crédito do cliente piorar rapidamente. Até agora, as instituições financeiras tinham que avisar todos os correntistas, independentemente do perfil de crédito, que reduziriam o limite do cartão e esperar 30 dias para efetuar essa ação.

"Com a mudança, o limite poderá ser reduzido mais rapidamente, em caráter excepcional, nos casos de deterioração do perfil de risco de crédito do cliente", afirmou o Banco Central. "Ao tornar mais eficiente o processo de gerenciamento de risco das instituições financeiras, há benefício para o usuário do sistema financeiro".

O BC afirmou que a expectativa é que a medida possa ajudar a reduzir o spread (diferença entre o que os bancos cobram para captar recursos e o que cobram na ponta).

"Essa medida permitirá uma gestão de risco mais apurada pelos bancos, o que evitará um eventual aumento de spread por essa razão", afirmou João André Pereira, chefe do departamento de regulação do Sistema Financeiro do Banco Central. (Fonte: Bem Paraná)