Destaques

Últimas Notícias

DADOS DO IR MOSTRAM QUE SUPER-RICOS TÊM MAIS ISENÇÕES E PAGAM MENOS IMPOSTO NO BRASIL

Terça, 25 Junho 2019

Quanto maior a faixa de renda, maior é a parcela de rendimentos isentos, o que faz com que o topo da pirâmide pague uma alíquota efetiva menor. Faixa mais alta de renda paga

CONTAS JUDICIAIS TÊM R$ 100 MILHÕES ABANDONADOS EM SP, DIZ TRIBUNAL DO TRABALHO

Terça, 25 Junho 2019

TRT-2 criou força-tarefa para identificar donos dos depósitos e entregar valores (Marina Estarque)

LUCRO DA CAIXA SOBE 23% NO PRIMEIRO TRIMESTRE E CHEGA A R$ 3,9 BILHÕES

Terça, 25 Junho 2019

'Foi surpresa positiva', avalia Pedro Guimarães, presidente do banco (Luana Pavani)

CAIXA PODE DEVOLVER ATÉ R$ 20 BI AO TESOURO

Terça, 25 Junho 2019

 Depois de reverter prejuízo, banco pretende devolver recursos tomados do governo antes do prazo (Eduardo Rodrigues e Luana Pavani)

Buscar Notícias

Newsletter

Receba notícias importantes em seu e-mail.

Temos 40 visitantes e Nenhum membro online

O CMN (Conselho Monetário Nacional) decidiu nesta segunda-feira (29) que os bancos poderão reduzir o limite do cartão de crédito dos seus clientes antes de 30 dias de prazo, que era a regra em vigor até agora.

Isso poderá ser feito nos casos em que o perfil de risco de crédito do cliente piorar rapidamente. Até agora, as instituições financeiras tinham que avisar todos os correntistas, independentemente do perfil de crédito, que reduziriam o limite do cartão e esperar 30 dias para efetuar essa ação.

"Com a mudança, o limite poderá ser reduzido mais rapidamente, em caráter excepcional, nos casos de deterioração do perfil de risco de crédito do cliente", afirmou o Banco Central. "Ao tornar mais eficiente o processo de gerenciamento de risco das instituições financeiras, há benefício para o usuário do sistema financeiro".

O BC afirmou que a expectativa é que a medida possa ajudar a reduzir o spread (diferença entre o que os bancos cobram para captar recursos e o que cobram na ponta).

"Essa medida permitirá uma gestão de risco mais apurada pelos bancos, o que evitará um eventual aumento de spread por essa razão", afirmou João André Pereira, chefe do departamento de regulação do Sistema Financeiro do Banco Central. (Fonte: Bem Paraná)